Global Azure Bootcamp 2017

Edição BH – PUC Minas – Unidade São Gabriel

E aiiiii pipouuuuuu, tudo bem?

Estou bem sumida aqui do CodeFC né? Essas últimas semanas foram bem intensas, mas com o tempo vou contando tudo pra vocês!!!!! Vou começar com o evento TOP que aconteceu nesse sábado, dia 22/04/2017, o Global Azure Bootcamp.

Totalmente gratuito e recheado com quatro palestras, o evento aconteceu de 9h às 15h30 e perpassou pelas áreas de banco de dados, desenvolvimento de software e infraestrutura. Bem completo né? Eu não sou expert em Azure, mas consegui pescar algumas coisas, vejam só:

Tarefas de um DBA – On Premises x Azure

SOBRE O PALESTRANTE: Fabrício Lima mora em Vila Velha – ES, é bacharel em ciência da computação com MBA em governança de TI, e foi reconhecido como MVP em fevereiro de 2017, com uma enorme bagagem e experiência em soluções em banco de dados.

Durante sua palestra, Fabrício realizou comparações entre os ambientes On-Premises e Azure para cada atividade do DBA. Será que o profissional de banco de dados deve temer a perda do seu emprego? No começo parecia que sim, o Azure veio para facilitar muitos dos passos exigidos nas configurações de um ambiente On-Premises, mas ainda em alguns pontos cruciais, o papel do DBA continua sendo importantíssimo, vejam na imagem abaixo.

whatsapp-image-2017-04-23-at-14-33-49
Imagem 1 – Fabrício explicando sobre as novas atividades de um DBA.

Azure SQL Databases

SOBRE O PALESTRANTE: Vitor Fava atua no ramo de tecnologia há mais de 14 anos, dos quais a 11 trabalha como DBA. É Bacharel em Sistemas de Informação pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Possui certificados e títulos Microsoft e é palestrante em diversos eventos de tecnologia.

Vitor abordou um tema mais gerencial do Azure SQL Databases. Deu dicas importantes tais como não focar nos custos, mas sim, nas vantagens que o SQL Databases pode proporcionar para sua empresa, além de identificar a quantidade de DTU’s que mais se adapta a sua necessidade, pois quanto mais DTU’s, maior é custo. Mas perai, você sabe o que é DTU? DTU é o acrônimo para Database Transaction Unit (em pt-br, Unidade de Transações do Bancos de Dados). A ideia é que este indicador nos mostre a capacidade de processamento do banco de dados em um modelo real de medida: transações.¹

whatsapp-image-2017-04-23-at-14-34-53
Imagem 2 – Vitor explicando sobre Service Tiers.

Hora do Rango

whatsapp-image-2017-04-23-at-14-35-42
Imagem 3 – Nosso rango com direito a subway, chips e cookie.

Publique aplicações com segurança com Azure

SOBRE O PALESTRANTE: Albert Tanure é MTAC há quase 4 anos, arquiteto de soluções, possui anos de experiência com desenvolvimento de software em diversas plataformas e é certificado Xamarin pela Xamarin University.

Albert abordou uma dor que provavelmente todo desenvolvedor já sofreu: publicação em produção! É um troca troca de web.config, backup de arquivos em diversos zips e o momento em que mais ouvimos aquela famosa frase: “na minha máquina funciona”. Quem se identificou? Pois é, além disso, cada vez mais as empresas dependem de softwares complexos e muitas vezes tornam o processo de publicação mais burocrático, com “janelas” de publicação em dias e horários específicos, dificultando a atualização dos sistemas em tempo real.

MAS, nossos problemas acabaram… Albert me chamou atenção com três features incríveis do Azure, vejam comigo:

1)      SWAP PREVIEW

Simula o ambiente de produção em um ambiente de testes. OLHA QUE MASSA! Assim você consegue prever alguma coluna nova que faltou atualizar em produção, ou aquele campo que faltou colocar na procedure, garantindo maior qualidade para seus clientes.

2)      SWAP

Esse é o processo de troca entre ambientes, ou seja é possível “fazer o SWAP” entre os ambiente de testes e produção com apenas um clique. Vale um ponto interessante aqui, o processo de rollback de publicação é MUITO rápido, com apenas alguns cliques isso ocorre, incrível.

3)      AQUECIMENTO

O Albert disse que essa feature “aqueceu o coração dele” hahahahahaha e aqueceu o meu também viu?! Quando você atualiza a versão do sistema, a primeira requisição é mais lenta o que acaba deixando que o cliente perceba essa lentidão. No entanto, com um simples ajuste é possível configurar para que logo após a publicação, o azure já realize uma requisição, não permitindo que o cliente sinta essa diferença. OLHA QUE SENSACIONAL!!!!!!!!!!!!!!! TÔ encantada!!!

whatsapp-image-2017-04-23-at-14-37-22
Imagem 4 – Albert iniciando sua palestra sobre publicações com segurança com Azure.

Mantendo seu ambiente seguro com Azure OMS

SOBRE O PALESTRANTE: Osanam Giordane é especialista em virtualização  e profissional de tecnologia há quase 20 anos, atuando com infraestrutura de TI voltado a tecnologias Microsoft.

Osanam fez introdução sobre o OMS e um overview sobre o valor de negócios que ele fornece, bem como os serviços e as soluções de gerenciamento incluídos. O OMS (Operations Management Suite) é um conjunto de serviços de gerenciamento que foram criados na nuvem para que em vez de implantar e gerenciar recursos locais, os componentes do OMS estão totalmente hospedados no Azure. A configuração é mínima e você pode ter tudo funcionando literalmente em questão de minutos.

whatsapp-image-2017-04-23-at-14-38-44
Imagem 5 – Osanam se apresentando antes de iniciar sua palestra.

E essa foi toda a galera que participou!!!! Só gente FERA!!!! Valeu demais pessoal!!!!

whatsapp-image-2017-04-23-at-14-40-08
Imagem 6 – Participantes do evento.

Todo o evento foi transmitido ao vivo e poderá ser assistido posteriormente. Além disso, os slides também serão disponibilizados e assim que eu tiver todos os links eu atualizo esse post com todas as referências para vocês tá bom minha gente????

Espero que tenham gostado e me sigam lá no instagrammm que sempre posto eventos de tecnologia e empreendedorismo!!!!!

Um mega beijo e até a próximaaaaaaa!!!!!

Fontes:
¹ http://fabriciosanchez.azurewebsites.net/3/o-que-significam-os-dtus-das-novas-instancias-azure-sql-databases/
Global Azure Bootcamp 2017 – Edição Belo Horizonte